O grão e a espiga

Durante o processo seletivo e no momento em que foi aprovada para o emprego ela sabia e aceitou que seria registrada.

            Serviço iniciado, patrões querendo cumprir a obrigação de registrá-la, na forma da lei; ela, negando receber seu direito. Motivo? Continuar recebendo o seguro desemprego. Resultado: foi dispensada por causa da sua falta de ética, para não chamar de mentirosa, desonesta.

Continue reading “O grão e a espiga”

Fé e oração, estudo e formação!

Fé e oração são mais importantes que estudo e formação. Estudo e formação são cada vez mais importantes para embasar a fé e a oração!

Conservo atitude de aprendiz e, conforme aprendo e correspondo, mais honesto é e útil pode ser o serviço como formador. Sempre sugiro os mesmos livros e outras fontes essenciais; e faço sugestões adicionais conforme o tema, público, propósito etc, que, necessariamente, são referentes e fieis ao Magistério da Igreja.

Quem não consulta habitualmente estas fontes e os agentes que delas podem tratar com propriedade, e quem não considera seriamente o básico do seu conteúdo: pode ser católico de boa fé, mas, possui equivocada, fraca ou péssima fundamentação, é vítima e contribui para as superstições, fundamentalismos, heresias, acomodações, descontentamentos, afastamentos, separações e oportunismos; qualquer que seja seu ministério, pastoral, movimento ou serviço, quanto maior o engajamento, maior a contradição ou contratestemunho!

Continue reading “Fé e oração, estudo e formação!”

Próspero Ano Novo e Feliz Natal

Existem países nos quais celebrar e difundir o Natal é antecedido por censura, pode resultar em multa, prisão e até pena de morte; a ideologia dos governantes molda tudo a favor de seus interesses, quanta vez em nome de Deus. Ser cristão nesses lugares exige coragem e coerência com a fé e, vira e mexe, resulta em martírio.  

Temos a graça de viver num país com liberdade de expressão, inclusive, religiosa: apesar dos que tramam contra; apesar dos folgados, obtusos e oportunistas que se aproveitam para parasitar crédulos, angariar leitores, ouvintes, telespectadores, eleitores, fama e dinheiro, com demagogia e populismo separatista e fundamentalista, muitíssimo em nome de Jesus, pouquíssimo conforme Ele; apesar da secularização que dá ênfase ao material em detrimento do emocional e espiritual, com adesão de maioria que se diz, se acha ou faz de conta ser cristã…

Continue reading “Próspero Ano Novo e Feliz Natal”

Propaganda ideológica

Tempos atrás, quase bastava informar a serventia do produto e onde comprá-lo. Hoje, com a concorrência e consumidores mais esclarecidos e exigentes, a publicidade também deve ser um espetáculo que prenda a atenção, entretenha e seja bem persuasivo para convencer que aquele produto, serviço ou empresa é melhor e deve ser comprado ou utilizado. É a publicidade ou propaganda comercial. A propaganda eleitoral apresenta candidatos a eleições aos Poderes Executivo e Legislativo como merecedores do voto do eleitorado: enaltecem suas qualidades pessoais, as obras que fizeram e as que farão se eleitos etc. São muitas as etapas de produção: empresas especializadas estudam profundamente cada detalhe do produto, serviço, empresa ou candidato; identificam quais são os potenciais consumidores, usuários ou eleitores e seus hábitos, desejos, carências, particularidades etc. Preveem suas reações ante o que lhes será apresentado, nos horários, locais e modos mais atraentes e compreensíveis para eles. Mesmo que se deixem influenciar, normalmente sabem do propósito da propaganda; alguns são capazes de optar por não “recebê-la”, bastando não prestar atenção. Mesmo em realidades mais simples pode-se fazer propaganda: na eleição da associação do bairro, na venda de doces caseiros de porta em porta, por exemplo. A propaganda comercial e a eleitoral tentam levar à prática de uma ação: uma compra, um voto.

Continue reading “Propaganda ideológica”

O chato e os outros vizinhos

Naquela rua a pressão imposta pela cidade grande, mídia e tecnologia, facilita a que os vizinhos se distanciem uns dos outros: não se conhecem e não convivem como antes. Assim mesmo se observam e avaliam. Pela casa, roupas e automóvel, imaginam o poder aquisitivo. Pelo vocabulário e opiniões, deduzem o nível de cultura e erudição.

Pelas ações e reações, concluem quem é participativo, solidário, simpático, educado, tolerante, humilde, vaidoso, discreto; e quem é impertinente, intolerante, intrometido, obtuso, mentiroso…

Continue reading “O chato e os outros vizinhos”

O mundo ideal

Pela enésima vez sugeri que houvesse esforço presente e crescente para que se habitue a não desperdiçar, não pichar, não poluir, separar e reciclar o lixo etc, mesmo que tal esforço seja de poucos e insuficiente para livrar o planeta e as pessoas das gravíssimas consequências do comportamento errático da humanidade. Uma ouvinte disse que eu nem devia tocar no assunto, pois, naquele horário nenhuma criança escutava e aos adultos não adianta falar. Ponderei que se o mundo ideal não existe não faço disso desculpa para ser omisso ou desistente.

Continue reading “O mundo ideal”

O que é seleção? Você também seleciona!

Quando chegar o Natal e o Ano Novo, quem tiver mais dinheiro comprará castanhas e panetones a quaisquer preços. Quem tiver menos no bolso comprará pedaço de melancia e panetone em promoção, se os encontrar. Quem não tiver nada…

Com exceção de quem não veja nada nestas datas, seja “pão duro” demais ou tenha outro motivo específico, do mais rico ao mais pobre, todos escolheremos a castanha, panetone ou melancia olhando as boas condições da embalagem ou casca, o cheiro, a aparência geral, provaremos um pedacinho, se possível, enfim, qual seja o preço que possamos e queiramos pagar, vamos escolher o melhor. Mesmo nas liquidações, “queimas de estoque”, “raspas de tacho” ou “fins de feira”, sabendo que temos as sobras e os restos, tentaremos escolher o produto com melhores condições. E sob nosso ponto de vista, seja ele sensato ou equivocado e até influenciado por terceiros.

Continue reading “O que é seleção? Você também seleciona!”

“Ser igual ou ser exemplo?”

O homem que sabe fazer a parte dos outros e não a dele:     

  • Vi essa vaga no jornal e vim para começar a trabalhar.
  • O senhor trouxe currículo, documentos e referências?
  • Não. O anúncio não pedia nada disso, moça!
  • Desculpe, está aqui, com licença (indicando o anúncio no jornal comprado pelo próprio candidato). Mas podemos resolver; o que importa é que o senhor esteja apto para a vaga, não é mesmo?
  • Me dá o endereço da firma que vou lá agora!
  • Calma, não é bem assim. Posso explicar como precisamos fazer e…
Continue reading ““Ser igual ou ser exemplo?””